domingo, janeiro 21, 2007

Fenix

Como a Fenix que renasce das cinzas
Ardi no fogo da minha mente
Obscura e deprimente
Pensei em partir…
O nevoeiro levantou
A chuva passou
As chagas começam a cicatrizar
E a dor…
Vai desaparecendo devagar
Lenta e progressivamente
Como a imagem do teu sorriso
Estou curado do feitiço…
Tenho o mundo na minha mão
Sou rei da minha solidão

2 comentários:

kite_feifei disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
sara disse...

olá!não te conheço e tu não sabes quem sou mas adoro a tua maneira de escrever e como expressas os teus sentimentos.sei bem como é a necessidade de dizer o que sentimos, o que qeremos, o que não queremos apesar de ninguém nos ouvir...ás vezes precisamos é de nos ouvir a nós próprios.não sei se ainda escreves mas tudo o que escreveste até aqui tocou-me, a sério...sinceramente acho que já não há rapazes com quem valha a pena estar, conversar, brincar, sorrir, mas se calhar até há só que ainda não tive o prazer de os conhecer. és especial, não deixes que nada nem ninguém te faça pensar o contrário. não sei se vais ver isto mas não o escrevi com essa intenção apenas porque me apeteceu falar... talvez 1 dia te encontre, quem sabe...beijinho