segunda-feira, dezembro 12, 2005

Deixa-me dormir

Deixa-me dormir por favor
Não me acordes até que tudo tenha passado
Deixa a tempestade acalmar por um bocado
Espera que os ventos mudem de direcção
Aguenta até que a chuva seque do chão
Ainda ontem tudo era perfeito
Tudo corria exactamente do meu jeito
Os meus planos pareciam estar a bater certo
Mas tudo é efémero, nada concreto
Um passo incorrecto pode ter destruído os cálculos

Um erro pode ter alterado os dados
Uma pedra no sapato
Um simples sinal errado
Não faço a mínima ideia do que aconteceu
A verdade é que tudo desapareceu
Como por magia, simples ilusão
Ficou apenas ar no sítio onde outrora houve um coração.
Deixa-me continuar a dormir por favor
Acorda-me apenas quando tudo mudar para melhor…

1 comentário:

Ana Carolina Taborda Lopes disse...

Eu revejo-me em muitas das coisas q tu escreves... Por um lado é bom, afinal n sou a única a sentir-me assim... Mas tal como dizes, e eu acredito piamente, ainda havemos de encontrar o q andamos à procura...
Beijinhos! E já agora boas festas!